domingo, 17 de fevereiro de 2013

Batalha Espiritual



“Usem toda a armadura e as armas providas por Deus, para que sejam capazes de resistir às táticas enganosas do Adversário. Porque nós não lutamos contra seres humanos, mas contra os líderes, as autoridades e os poderes cósmicos que governam as trevas, contra as forças espirituais do mal na esfera celestial.”
(Efésios 6.11 e 12 BJC [Bíblia Judaica Completa])


            O mundo espiritual é tão ou até mesmo mais real do que o mundo material. A ignorância deste fato faz com que vivamos de maneira incompleta, pois do mesmo modo que anjos e demônios, como seres espirituais, influenciam o mundo natural, ou material, nós como habitantes deste mundo natural possuímos um espírito e, deste modo, influenciamos o mundo espiritual. Pertencemos a estas duas dimensões: a dimensão natural e a dimensão espiritual, por esta maneira podemos dizer que somos cidadãos celestiais que representamos o Rei dos reis neste mundo.
            Nos versículos apresentados logo acima, Sha’ul [Paulo] nos afirma a existência de outros seres que habitam a esfera celestial.
Adversário (ou diabo): do grego διαβολος (diabolos), esta palavra significa caluniador, que faz falsas acusações, que faz comentários maliciosos, e é a tradução grega da palavra hebraica satan, “adversário, oponente, rebelde”.
            Quando Yesha’yahu [Isaías] profetizava em referência ao rei da Babilônia ele fala sobre este Adversário:
“Seu orgulho foi derrubado até o sh’ol [o lugar dos mortos] com a música de suas liras, debaixo de você há um colchão de larvas, e sobre você, uma coberta de vermes.”
“Como você caiu dos céus, estrela da manhã, filho da alvorada? Como você foi derrubado ao chão, conquistador das nações? Você pensava consigo mesmo: ‘Escalarei os céus, elevarei meu trono acima das estrelas de Deus. Eu me sentarei no monte da Assembleia ao longe, no norte. Subirei além dos cumes das nuvens e me tornarei como o Altíssimo’.”
“Em vez disso, você será levado ao sh’ol, à mais completa profundeza da cova.”
(Yesha’yahu [Isaías] 14.11 – 15 BJC)
            De modo semelhante Deus falou pelo profeta Yechezk’el [Ezequiel] enquanto lamentava pelo rei de Tzor:
“Você pôs o selo sobre a perfeição; era cheio de sabedoria e perfeito em beleza. Estava no ‘Eden, o jardim de Deus, coberto com todos os tipos de pedras preciosas – sárdio, topázio, diamante, berilo, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda; seus pendentes e joias eram feitos de ouro, preparados no dia em que você foi criado. Você era um keruv [querubim], que protegia uma grande região; coloquei-o no santo monte de Deus. Você ia e vinha entre pedras de fogo. Era perfeito em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que a injustiça foi encontrada em você.”
“Quando seu comércio cresceu, você se tornou cheio de violência, e, dessa forma, pecou. Portanto, eu o lancei para fora, desonrado, da montanha de Deus. Eu o destruí, keruv protetor, dentre as pedras de fogo. Seu coração ficou orgulhoso por causa de sua beleza, e você corrompeu sua sabedoria por causa de seu esplendor. Contudo, eu o lancei ao chão; fiz de você um espetáculo diante dos reis. Por causa de seus muitos crimes no comércio desonesto, você profanou seus santuários. Portanto, fiz sair de você um fogo que o devorou; eu o reduzi a cinzas no chão à vista de todos os que o podiam ver. Todos ficarão espantados com você. Você é um objeto de terror e não existirá mais”.
(Yechezk’el [Ezequiel] 28.12 – 19 BJC)
            A Bíblia ensina a respeito de uma criatura que certa vez foi poderosa e bela, mas que em seu orgulho se rebelou contra Deus e tornou-se o oposto dele. Não é uma lenda, ou invenção dos judeus ou cristãos, pois o próprio Yeshua [Jesus] foi ao deserto para ser tentado por este Adversário (Mt 4.1). Nos dois primeiros capítulos do livro de Iyov [Jó] aprendemos que este ser se opõe a Deus e ao homem, inclusive de acordo com Revelação [Apocalipse] 12.9 ele é a “antiga serpente” que tentou Adão e Eva a desobedeceram ao Senhor (Gn 3). Como criatura, o diabo de modo algum é igual ao Criador; mas ainda assim é a fonte original de todo o pecado, mal e oposição a Deus. Tanto o Tanakh [Antigo Testamento] quanto a B’rit Hadashah [Novo Testamento] ensinam a existência do Adversário e de anjos (demônios) maus e rebeldes que o servem.
Sha’ul inclusive classifica alguns destes demônios:
Líderes (ou principados): do grego αρχη (arche), representa o primeiro lugar da hierarquia dos demônios, o reinado, magistrado.
Autoridades (ou potestades): do grego εξουσια (exousia), representa
o poder de reger ou governar (o poder de alguém de quem a vontade e as ordens devem ser obedecidas pelos outros).
Poderes cósmicos (ou dominadores): do grego κοσμοκρατωρ (kosmokrator), representa o senhor do mundo, príncipe desta era, o diabo e seus demônios.
            De acordo com Alfred Martin, Comentário Bíblico Moody, estas classificações são para conhecermos o fato que “Nas hostes de Satanás encontramos diferentes categorias. Não é possível fazer separações distintas entre os diversos tipos de inimigos aqui mencionados.”.
            O que podemos concluir deste texto é que Satanás, nosso adversário, possui um exército organizado sob seu comando. E é a este exército que nos opomos. De acordo com David H. Stern, Comentário Judaico do Novo Testamento: “Os crentes em Yeshua não estão lutando para forçar não cristãos a se converterem, mas para derrotar os líderes e poderes demoníacos segundo os métodos prescritos por Deus”.
            Desta forma não existe uma terceira opção: ou estamos com Deus ou com o Diabo, pois todo aquele que não aceitou o sacrifício de Yeshua vive em obediência a estes demônios (Ef 2.2). Isto nos coloca em meio a uma grande batalha onde de um lado nosso Adversário tenta nos destruir (1 Pe 5.8) e de outro colocamo-nos contra ele (Tg 4.7), sabendo que dependendo de nossas ações podemos dar ocasião para nosso inimigo agir (Ef 4.27). Se de um lado Satanás se opõe a Deus e a toda a sua criação, de outro o Senhor, através de sua Igreja, irá tornar sua sabedoria conhecida (Ef 4.10) àquele que corrompeu sua sabedoria (Ez 28.17).
            Mas não estamos sozinhos no meio desta guerra. Quando o exército de Aram resolveu sitiar Dotan para impedir que Elisha [Elizeu] continuasse revelando seus planos secretos na guerra contra Yisra’el [Israel] ficamos sabendo que “O servo do homem de Deus levantou-se de madrugada; ao sair, ele viu um exército com cavalos e carruagens cercando a cidade. Seu servo disse a ele: ‘Oh, meu senhor, isto é terrível! O que faremos? ’. Ele respondeu: ‘Não tenha medo – aqueles que estão conosco são mais numerosos do que aqueles que estão com eles! ’. Elisha orou: ‘ADONAI, peço-te que abras os seus olhos para que ele possa ver’. ADONAI abriu os olhos do jovem, e ele viu: ali, diante dele, por toda a volta de Elisha, as montanhas estavam cobertas de cavalos e carruagens de fogo.” (M’lakhim Bet [2 Reis] 6.15 – 17 BJC).
            Ao mesmo tempo em que os demônios se posicionam para guerrear, ADONAI-Tzva’ot, o Senhor dos Exércitos, envia seu exército de anjos para estar ao nosso redor nos livrando do inimigo (Sl 34.7). E por mais numeroso e poderoso que seja o exército demoníaco podemos ter a certeza que “aquele que está em vocês [em nós] é maior do que aquele que está no mundo” (1 Yochanan [1 João] 4.4 BJC), pois nosso Deus que ressuscitou Yeshua, o colocou sentado “à Sua direita no céu, muito acima de qualquer governante (αρχη), autoridade (εξουσια), poder (δυναμις), domínio (κυριοτης) ou qualquer outro nome que possa ser invocado no ‘olam hazeh [este mundo, esta era] ou no ‘olam haba [o mundo por vir, a era futura]” (Efésios 1.20 e 21 BJC). O Messias Yeshua está colocado sobre todos os demônios, Ele é superior a eles, e Ele está conosco para sempre (Mt 28.20).
            Quando o rei de Ashur sitiou Yerushalayim [Jerusalém], o rei Hizkiyahu [Ezequias] orou ao Senhor e “Naquela noite, o anjo de ADONAI saiu e feriu 185 mil homens no acampamento de Ashur. Na manhã seguinte, lá estavam eles, todos eles, cadáveres – mortos.” (M’lakhim Bet 19.35 BJC). Não importa quem se levanta contra nós, se permanecermos no Senhor podemos confiar que “a batalha não é de vocês [nossa], mas de Deus” (Divrei-Hayamim Bet [2 Crônicas] 20.15 BJC). E quando o poderoso ADONAI-Tzva’ot saí para guerrear nada pode lhe vencer.
            E mesmo quando o inimigo tenta contra nós secretamente e ficamos sem entender o que está acontecendo, podemos ouvir o mesmo que o homem celestial disse a Dani’el [Daniel]: “Não tema, Dani’el, pois desde o primeiro dia em que você decidiu compreender e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas; e eu vim por causa do que você disse. O príncipe do reino da Pérsia impediu-me de vir por vinte e um dias, mas Mikha’el [Miguel], um dos príncipes notáveis, veio para me ajudar, para que eu não fosse mais necessário ali entre os reis da Pérsia.” (Dani’el [Daniel] 10.12 e 13 BJC). Nosso Deus que a tudo vê, envia seus anjos para sair ao nosso favor, assim como ocorreu com Dani’el.
            E este mesmo versículo nos ensina que o exército celestial também é organizado em hierarquias sob o comando do Senhor, e o próprio Deus manda cada um em sua função para nos auxiliar.
            Deste modo Batalha Espiritual é o nome que damos à guerra que ocorre no mundo espiritual declarada pelo Diabo contra os filhos de Deus na qual temos ao nosso lado os exércitos do Senhor. É uma batalha diária e constante da qual mesmo de modo inconsciente participamos, e, tendo isto em mente, precisamos nos posicionar dentro dela.
            Para isto a primeira coisa que precisamos saber é que só podemos ser fortes no poder do Senhor. Não temos força alguma em nós mesmos, e, se observamos a Palavra de Deus nem os próprios anjos, que são maiores que o homem (Hb 2.6 e 7 citando Sl 8.4 e 5), confiam em sua própria força. Podemos observar este fato quando comparamos Revelação [Apocalipse] 12.7 e 8, onde lemos que Mikha’el e seus anjos lutaram contra Satanás e o derrotaram, com Y’hudah [Judas] 9, onde o mesmo Mikha’el não fez acusação ofensiva contra Satanás, “mas disse: ‘ADONAI o repreenda! ’”.
            Em segundo lugar, precisamos seguir a orientação de Sha’ul aos Efésios de estarmos constantemente preparados para a batalha com a Armadura de Deus (Ef 6.10 a 18). Não podemos fazer “vista grossa” para aquilo que nos cerca. Precisamos estar protegidos na Armadura de Deus contra os constantes ataques do inimigo e preparados para agir de acordo com a orientação do Senhor, “ligados a seu forte poder!” (Efésios 6.10 BJC).
            Em terceiro, e último lugar, não podemos nos deixar esquecer que nossa batalha é contra forças espirituais do mal, presentes no mundo. O mal que existe em nosso derredor é semeado pelo inimigo. Deste modo as pessoas que nos cercam não são nossos adversários, mas alvos de nossa oração, amor e misericórdia.

Um comentário:

Elsa Balieiro Faustino disse...

Yeshua (Jesus) dependo totalmente d'Ele !!!